O site io9.com entrevista Jack Coleman

O site io9.com falou com Jack ‘Óculos de Armação de Chifre’ Coleman em um almoço em Beverly Hills para descobrir o que exatamente está acontecendo na série e falar de suas habilidades de pai.

Eu estava passando por alguns dos materiais impressos da NBC pouco antes da série estreiar, e você nem sequer estava listado nos registros do elenco.

Ah, isso é louco. Há ainda fotos do elenco inteiro em todo lugar, e eu não estou nelas.

Então seu papel era obviamente para ser menor, mas cresceu até ser agora um dos maiores personagens da série. Em que estágio durante a primeira temporada você soube que isso aconteceria?

Bem, o engraçado é que foi um progresso gradual. Primeiramente, foi um lugar de convidado no piloto, é isso. Nunca houve uma promessa de algum episódio além desse. Era uma parte pequena, mas lendo o roteiro eu pensei, “Essa é a parte legal, não me importo o quão pequena é, as pessoas vão reparar esse cara.” Sabia que havia algo arrepiante e dinâmico nele, e quando ele acabou se tornando o pai da Claire, lembro-me de pensar, “Não sei como eles ignoram isso. Não sei como eles não lidam com isso”.

Conforme os episódios foram passando, eu acho que Tim (Kring, o criador da série) e os roteiristas descobriram que essa cara HRG era uma boa ponte entre os personagens e estórias. Todos eles descobrindo suas habilidades, e você precisa ter alguém que está mais à frente em termos de saber o que podem fazer, e meu personagem é apto a isso perfeitamente. Adicionando a arrepiante dinâmica que tem um cara que caça “especiais” e que é na verdade pai adotivo de um deles, é formidável. Ele está na realidade a vigiando ou apenas colhendo? Acho que no momento em que Tim decidiu que HRG seria pai da Claire, pensei que era uma oportunidade boa demais para não tirar proveito dela.

Ele sempre foi HRG nos roteiros, ou teve um nome em algum momento antes de descobrirmos o que era isso?

Ele era o Homem de Óculos de Armação de Chifre no piloto, e então HRG só no episódio dois. Era mais fácil, eu acho. Havia uma cena no meio da última temporada onde eles iriam revelar seu verdadeiro nome, na verdade acho que foi em “Company Man” (episódio 17 da 1ª temporada). Mas eles decidiram que isso parava tudo gélido e tirava você da cena e simplesmente decidiram que ainda não era hora de fazer isso.

Então o que dizem os roteiros agora que sabemos que seu nome é Noah?

HRG. E você sabe, as pessoas irão se referir a mim pelo nome na série, mas os roteiros ainda dizem HRG.

Esses óculos se tornaram um ícone do seu personagem, e é tipo uma ironia, é seu “disfarce” de certa forma, levando em conta os quadrinhos com Clark Kent e o Superman. Eles ainda tem um episódio onde Claire estava ajudando você a escolher o óculos que se tornaria seu traje base.

Isso foi na verdade idéia minha. Houve uma cena lá onde ele estava selecionando os óculos. Mas eu simplesmente adorei como você vê como esse cara foi a “criando” toda a temporada, e gostei da idéia de que ela de alguma forma criou ele também. Isso é o que é tão magnífico nos nossos roteiristas. Bryan Fuller escreveu esse episódio, e eu apenas enviei um email a ele com a idéia e disse “E se…” Ele disse “Deus, adorei!” e no dia seguinte estava no roteiro, e é claro que ele escreveu bem melhor do que eu escreveria. O bom foi que não houveram egos na sala sobre isso, como “Quê, o ator sugeriu isso?!” Foi só um caso onde a melhor idéia venceu, e eu adorei a idéia de que ela foi cúmplice na criação desse cara.

Como você tem influenciado seu personagem conforme ele tem evoluido?

Não tenho influenciado. Na verdade, aquela foi a única idéia que eu dei. Quer dizer, tem havido umas coisas aqui e ali em que eu disse, “Que tal isso, que tal aquilo.” Às vezes a resposta é sim, e às vezes não. Quero dizer, não estou lá arremessando estórias. Apenas aconteceu de eu ver a cena e pensei que seria uma oportunidade legal. Além disso, tornou-se uma cena realmente tocante, mas tudo por causa da forma como Bryan escreveu.

Então, você não está lá cochichando no ouvido do diretor?

*risos* Bem, o problema é, essa não é a orelha certa! Tratando-se de televisão, você tem que estar cochichando é na orelha do condutor da série, ou às vezes talvez na do roteirista do episódio. Eles ouvem os atores se há uma boa idéia, mas… se você é um escandalodo não será necessário ficar cheio-de-dedos. Você será esmagado. E por uma boa razão, digo que não quer os internos assumindo o hospício.

Bem, seu personagem tem mudado muito com o passar da série. Quando ela começou nós pensamos, “Ok, ele é o vilão”.

Eu era a face do mal!

Mas no final da primeira temporada, estávamos pensando “Ah, ele é apenas um mocinho vigiando sua filha” Contudo, quando a segunda temporada começou, você foi pra Rússia e assassinou alguém a sangue frio, quase assassinou Bob, a nova face da “Companhia,” não teve escrúpulos ao torturar a personagem da Kristen Bell e assim por diante. Sei que você tem sido ambíguo se ele é bom ou mau, mas o que ele é afinal?

Sabe… não acho que é ambígüidade. Não estou sendo reservado quando as pessoas dizem que ele é bom ou é mau e eu digo “sim.” Digo isso porque ele é os dois. Umas das razões pela qual meu personagem atirou no Ivan na Rússia foi para aprender que nem sempre deve seguir seus instintos. Não acho que é ambígüidade, acho que está claro que ele é ambas as coisas, e que ele tem a capacidade de ser realmente bom, e a capacidade de ser realmente mau. Essa é umas das razões pelas quais o personagem faz tanto sucesso, e acho que perceberam isso desde o início.

Fiquei preocupado quando li o roteiro onde eu atiro no Ivan, e você sabe que estávamos o definindo como um carinhoso avô e toda a coisa com sua filha e nós estávamos tirando suas memórias… foi desumano. Mas, eles queriam algo assim, queriam algo chocante, queriam lembrar o público que é esse cara pode ser desagradável e cruel. Mas há sempre a “Claire-Ursinho” se ele precisar ser reabilitado.

Contudo, ele esteve pronto para usar a fita silver tape nela recentemente quando ela não queria ouvi-lo.

Bem, você sabe que há apenas muito lábio que você pode tirar da sua filha adolescente.

Você é pai, e ser pai tem influenciado no modo como você trabalha o personagem?

Tem sim. Quero dizer, não ajuda, mas informa suas escolhas, reações etc. Como você se sentiria em determinadas circunstâncias e situações.

Então quando sua própria filha alcançar a idade em que estará namorando, você acha que será um pouco mais calmo com ela do que o HRG?

Sem chance. Não, toda a coisa do namoro… quero dizer, ela é uma garota bonita e os rapazes já estão interessados nela, mas estou todo não, não, não, não, não. Te juro que vou meter medo no garoto que chegar perto da minha casa.

Talvez eles já terão visto o programa e você não terá que fazer isso!

Vou colocar juntos alguns dos meus “maiores golpes” compilados em um vídeo e dizer, “Coloque isso no seu iPod, moleque.”

Você estava preocupado no início que seu personagem fosse tão mau?

Quer dizer no começo? Não, não na verdade. Quero dizer, eu sabia desde o início que eu não era o Sylar. Isso teria me preocupado um pouco. Geralmente o tipo de aqui-vilão, o cara que é claramente um vilão, normalmente tem um tempo de vida limitado. Zach (Quinto, que interpreta Sylar) tem sido tão espetacular que eles têm o mantido vivo. Sabia desde o início que a afeição de HRG por sua filha era real. Normalmente eu não fazia muitas perguntas, mas queria saber se tinha matado o pai do Suresh, se eu era Sylar, e se realmente amava minha filha. Uma vez que eu tive essas respostas, soube como interpretar. Digo, fazer o cara mau é legal. Você pega as melhores linhas da estória, e é normalmente muito interessante de interpretar.

O quão doloroso é trabalhar com o Mr. Muggles?

Ele é uma diva. Só há um Mr. Muggles, e seu nome é Lestat. Eles tiveram um Mr. Muggles substituto em um momento porque o Lestat nos deixou por um filme, mas ele voltou com seu rabinho entre as pernas, como sabiamos que faria. Mas ele é brilhante, muito bem treinado. Há um cachorro que usaram enquanto Lestat estada fora fazendo seu filme, e ele não estava perto de se equiparar. Não sei, colocaram um suéter nele, tentaram de tudo. No início lembro que as pessoas estavam dizendo que Mr. Muggles era Sylar, antes de sua identidade ser revelada. Era formidável.

Na cena onde o vemos na mesa de exames depois de levar um tiro no olho… você colocou tudo em ordem na academia a fim de se preparar para isso?

Bem, é provavelmente de dez anos desde que eu tive que tirar minha camisa para uma cena. Vamos dizer que quando eu vi o roteiro tive cerca de duas semanas, e foram muitas mais flexões e arremessos feitas nessas duas semanas do que em dois anos. Eu me mantenho em forma decente, mas o Milo (Ventimiglia, que interpreta o Peter Petrelli) tem 30 anos e está todo modelado, e eu com quase 50 ainda não estou preparado assim, então a barra de exercícios foi colocada bem alto na nossa série.Falo sobre o temor a Deus quando vejo essa cena. Aconteceu duas vezes na série, uma vez em que eu peguei duas páginas e meia em japonês, e então outra em que descobri que teria que ficar nu em uma cama. Estava gostando, eles não podiam talvez combinar essas duas cenas? Eu tendo que falar janponês enquanto estava nu? Assim eu teria uma completa quebra de nervos.

Você teve que usar próteses para essa cena?

Você quer dizer no olho? Foi tudo CGI. Pensei que estava perguntando se eu estava usando próteses de músculos, como a roupa do Batman. O olho, esse que era feito todo de CGI, incluindo a cena onde fui baleado, com o spray de sangue. Joe Potasky fez um ótimo trabalho escrevendo o roteiro, e Greg Yaitanes fez um ótimo trabalho dirigindo o episódio.

Posso te dizer, adorei a cena com Kisten Bell com seus pés na banheira do Mr. Muggles. Eu vi algo online em algum lugar, onde as pessoas estavam se perguntando quantos takes levou para dizer aquilo com um rosto sério. Foram muitos takes para conseguir isso. A grande coisa nessa cena foi que Sandra (esposa do HRG) o viu como HRG pela primeira vez. Ela começou a vê-lo em ação e teve alguma idéia não só de como ele trabalhava, mas também o que ele teve que fazer para proteger Claire de se tornar isso. Essa foi uma idéia realmente bem concebida para tê-la privada disso. Não era assim no projeto inicial, mas acho que pensaram nisso e foi, “Você sabe, ela devia estar lá.”

Faz parecer que ela teve muito mais presença na série nessa temporada.

Mmm hmm. Quero dizer, Ashley (Crow, que interpreta Sandra) é muito boa e é legal a ver tendo momentos onde ela aponta a arma para Bob e coisas do tipo. Ela é uma atriz fantástica.

Eles tiveram alguma idéia para aumentar o papel do Lyle (irmão da Claire)? Parece que ele terá uma fala de seis em seis episódios.

Não tenho a menor idéia! Para ser honesto, acho que é quase uma piada quando Lyle diz sua única fala, e Claire diz, “Cala a boca, Lyle.” *risos*. Ele está fazendo um bom trabalho, mas não teve muito com o que trabalhar.

Então, nós temos ouvido que terá uma alta quantidade de corpos caindo no episódio de segunda. Pode nos contar quem morre?

Bem, não posso… mas irei dar-lhe uma boa razão pela qual eu não posso. Acho que é deixar algo ambíguo como se queira ou não essas pessoas estão mortas. Direi que parece realmente ruim para certas pessoas, mas pode não acabar dessa forma. E não será um tipo de coisa “volta da morte”, mas talvez o que estamos vendo não veio para passar como estávamos pensando que veio.

Recentemente, durante a greve dos roteiristas, o criador Tim Kring se apresentou e, basicamente, pediu desculpas pelo lento início da segunda temporada. Para esse fim, ele disse que seriam fixadas coisas, e fez a série melhorar. Mas sabemos que leva muito tempo para escrever e filmar essas coisas. Será que eles realmente mudaram alguma coisa ao fazer episódio 11, o “final” deste primeiro arco?

Não. As pessoas esquecem com que antecedência estas coisas são filmadas. Na época em que Tim deu essa entrevista, já estávamos filmando os episódios 12 e 13, apesar de não termos finalizado, por isso não estão na lata de lixo. Não sei o que as pessoas esperam, porque não é filmado ao vivo. São meses de antecedência. Foi uma coisa corajosa da parte dele assumir isso. Se você é um fã frustrado da série, acho que foi agradável ouvir o líder e criador da série que, “Nós ouvimos você. Percebemos quais são os problemas e estamos indo enfrentá-los.”

Dito isto, também penso que não tem sido uma temporada desastrosa. Todo mundo parecia estar orientando-se para: a) um desapontamento com a primeira temporada em termos de como os fãs experimentam a série, ou b) revolta. Você sabe, colocam você pra cima assim como podem colocar você pra baixo. Quero dizer, isso é um fato. Eu compreendo algumas das frustrações, mas não é como se todos os acontecimentos tornassem o seriado terrível.

Houve apenas essas altas expectativas. Lembro-me também de pessoas com problemas desde a primeira temporada, e fãs dizendo coisas como “Por que as coisas não se deslocam mais rápido?” E “Por que essas histórias não estão ligadas?” Você sabe,nem a primeira temporada foi toda perfeita. É um grande programa com um grande número de partes se movendo, e ninguém usa todas as partes o tempo todo. Isso é válido para qualquer série com um grande conjunto… Há muita coisa acontecendo. Mas eu acho que terminou fortemente, e assumindo a greve dos roteiristas, quando voltarmos ao trabalho, será com uma clara missão em mente do que os fãs querem.

Falando sobre “fixação” pela série, Tim disse que não estava certo sobre o romance entre Claire e West. Isto quer dizer que West não dura muito tempo neste mundo?

Não sei. Não sei se ele estava sendo específico sobre isso, acho que ele quis dizer que talvez um romance não seja um bom ajuste para nós. Eu sei que o personagem West vem crescendo na audiência recentemente. No começo, as pessoas o achavam aborrecido e arrogante, mas agora o conhecem e ele não é mais um arrogante, estão começando a gostar dele muito mais. Não estou certo de que é este plano para ele, eu realmente não sei.

Os estúdios estão reunidos com os escritores agora. Se a greve encerrar amanhã, quando você acha que tudo estará pronto para voltar a trabalhar?

Provavelmente final de janeiro. Quer dizer, acho que não há nenhuma maneira de irmos ao ar em janeiro. Penso que os estúdios vão começar a sentir os efeitos desta greve quando as pessoas realmente estiverem cansadas de tanto reality show.
A que distância estão os roteiros do episódio final desta temporada?
Bem, nós estávamos filmando os episódios 12 e 13, quando a greve nos fez parar, porque regravações já não eram possíveis. Assim que voltar e começarmos a gravar novamente é difícil dizer se estes episódios serão reescritos ou regravados. Está tudo no ar até agora.

Acha que a série vai se sustentar após a greve dos roteiristas?

Sim, eu acho. Quer dizer, não sei quanto tempo vamos ficar fora, mas acho que, quando voltar haverá pessoas que nunca viram a série e que vão querer entrar em sintonia, e penso que as pessoas que estavam em desafeto vão assistir para ver o que mudou. Eu estava falando com alguém que disse não há dúvidas que Heroes voltará muito forte. Quer dizer, Desperate Housewives, Lost … Segundo ano é difícil por uma razão, e parte disso é a exaustão de pegar a série já andando, e nossa série é simplesmente enorme. A maioria das séries filmam em oito dias, mas estamos fazendo em 12 a 14 dias. Estamos gravando no estilo de programação da série The Sopranos, ao menos fazer duas vezes os episódios. É de fato um grande compromisso.

A Última temporada e esta temporada mostraram um futuro desastroso que pode ou não acontecer. Heroes está dizendo que o futuro é um lugar assustador ou isso é simplesmente uma forma de prover um mecanismo de roteiro que funcione como um reloginho?

Acho que é mais uma forma de prover um mecanismo de roteiro que funcione como um reloginho. Todo programa representa seu lugar e tempo de algum modo, e uma coisa que essa série realmente representa é um mundo muito nervoso onde as pessoas têm medo. Elas não confiam no governo, nós não confiamos em corporações. O que todos nós podemos ver por trás são indivíduos comuns que se levantam e se tornam quem pode nos salvar de nós mesmos. Acho que é o que realmente tocou. Não acho que seja uma sentença política sobre o futuro.

Heroes está com alguns atores veteranos, como Malcolm McDowell, George Takei, e agora Nichelle Nichols. Você tem cenas com algum deles?

George. Tive essa cena com George onde eu fiz duas páginas e meia em japonês, mas eu ainda não trabalhei com Malcolm ou Nichelle, ou Joanna Cassidy, que entrou recentemente e que eu adoro. Gostaria que ela tivesse ficado mais tempo. Não tenho trabalhado com Cristine (Rose, que interpreta Angela Petrelli) e eu quase não trabalhei com Adrian. Eu só tive uma cena com ele quando estou o perseguindo através de um estacionamento, mas só esta vez. Há ainda um grande número de pessoas que, realmente, não trabalhei ainda.

Junto com toda a viagem no tempo na série, é difícil lembrar que certos personagens nem sequer se conheceram nos dias atuais do enredo.

È verdade, não trabalhei com Masi no “presente”, e assim por diante. Os mundos foram bastante circunscritos.

É engraçado você mencionar Joanna Cassidy, porque ela, evidentemente, está no novo DVD Blade Runner que está para sair, mas a Warner voltou e fez algumas mudanças no estúdio, e a filmou nos dias atuais e, em seguida, adicionou digitalmente as cenas e ficou muito bom. Então, quando ela apareceu em Heroes, tínhamos visto só o DVD e ela continua muito bem até hoje.

Oh, ela é fantástica. Não sei quantos anos ela tem, mas ela ainda é uma mulher sexy. Além disso, ela era ótima em Six Feet Under, louca e maravilhosa. Eu estava realmente esperando para começar a trabalhar com ela.

Um site recentemente apresentou um monte de fotos dos atores de Heroes com um copo de Slusho, sabemos que é uma espécie de bebida Slurpee no universo de JJ Abrams e do seu próximo filme Cloverfield, mas o que significa tudo isso?

Isso é tudo que sei! Eu basicamente segurei o copo de Slusho, dando uma grande quantidade de informações, e acabou assim. Éramos apenas uns patetas ao redor disso, mas algumas dessas imagens são histéricas.

O que aconteceu com a personagem que foi apresentada, que pode falar com computadores? Ela parece ter desaparecido.

Creio que, literalmente, o que aconteceu foi que ela foi pra outra série e nós a perdemos. Acho que ela vive em todas as coisas onlines que foram criadas para a série, eles a chamam de Wireless. Pensei que essa era uma idéia brilhante e ela foi realmente boa em parte, não sei se vão trazê-la de volta agora. Sei que falaram em trazer de volta Christoper Ecclestonn (Claude Rains,o Homem Invisível) também.

Fonte: io9.com, traduzido por Isabela. e julie_alencar, agradecimentos à Alex Sanders.

– postado por Isabela.

Anúncios

13 Responses to O site io9.com entrevista Jack Coleman

  1. Ana Gitelman disse:

    Ieii!! Morri de rir!
    Que entrevista LEGAL!
    Adorooo o Jack Coleman 😀
    Poderia se chamar Jack Coolman \o/
    Que fofo que ele que concebeu uma das cenas mais fofas da série, a Claire escolhendo os óculos dele. :~
    Ah, bah, fala sério. Adoro o HGR e adoro o Coolman 😀

  2. The Air Hero disse:

    *lendo*
    *e morrendo de rir*

  3. Alexandra disse:

    Ahhh, ele fala da Hana: “o que aconteceu foi que ela foi pra outra série e nós a perdemos”. Ela foi pra uma série chamada Eclipse Podcast, Noah. Rsrsrs! ;p~

    Mas (*snif*) que pena que ele não sabe dela, eu quero ver a Hana de novo na frente das câmeras de Heroes…

    Eu também gosto muito da atriz que faz a Sandra, acho fofa, parece uma mamãe querida mesmo. :}

    😛

  4. Sylvia Sanders disse:

    ADORO o ator mas continuo não gostando do Noah! 😛

  5. The Air Hero disse:

    Lestat me lembra Anne Rice. 😛

  6. Alexandra disse:

    não, the air hero! jura? sério? tem certeza? é mesmo? jura que é verdade? =P

  7. Ana Gitelman disse:

    Sylvia! Como assim? Por que você não gosta do Bennetzinho? :~

  8. The Air Hero disse:

    Juro! É sério mesmo! Tenho certeza! Mesmo! Juro que é verdade, ô!
    :PPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPPP

  9. The Air Hero disse:

    Pronto. Li a entrevista toda. Mas, me digam:

    Na tradução, alguma coisa perdeu a graça? Por exemplo, algo que em Português não traria tantos risos, mas que em seu idioma natal (no caso, Inglês) seria muito engraçado.

  10. Victor disse:

    “Não tenho a menor idéia! Para ser honesto, acho que é quase uma piada quando Lyle diz sua única fala, e Claire diz, “Cala a boca, Lyle.” *risos*. Ele está fazendo um bom trabalho, mas não teve muito com o que trabalhar.”

    huahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahhauhauhauhuah

  11. Isabela. disse:

    Air Hero, tem uma coisinha sim. Acho que nem é nada demais não, mas tem mais graça em inglês.

    Esse trecho:
    Talvez eles já terão visto o programa e você não terá que fazer isso!

    Vou colocar juntos alguns dos meus “maiores golpes” compilados em um vídeo e dizer, “Coloque isso no seu iPod, moleque.”

    O original:
    Maybe they’ll already have seen the show and you won’t have to!

    I’ll put together a little “greatest hits” video compilation of me and say, “Put this on your iPod, Skippy.”

    O ‘greatest hits’ pode ser ‘maiores sucessos’ ou ‘maiores golpes’.
    Acho que só isso.

  12. The Air Hero disse:

    Hm, ok. 😉

  13. juliealencar disse:

    Jack Coolman!!!!!!adoro ele, adoro o Noah e queria que todos de heroes soubessem dar uma entrevista como ele…é Milo, isso é pra você mesmo!!!
    hieuuuhiehiheuihueie

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: